26.08.2018 | 12h19

‘Estamos à beira do abismo’, diz Boris Fausto

Para o historiador Boris Fausto, o Brasil corre o risco “de uma descida aos infernos por uma via autoritária que seja, até certo ponto, formalmente democrática”. Em entrevista ao Estadão, Fausto faz críticas tanto a Jair Bolsonaro (“uma má personificação, é muito caricatural”), quanto aos petistas (“Existe uma corrente autoritária forte no interior do PT “).

“Estamos à beira do abismo, em uma situação muito complicada. Há uma crise institucional muito grave. Há uma incerteza com o resultado da eleição. E existem candidatos que são, ao menos um candidato notadamente, muito preocupantes”, afirma.


VOLTAR PARA O ESTADÃO