18.04.2018 | 10h12

‘Esquerda’ e ‘direita’ como xingamento

Quase nenhum presidenciável de 2018 reivindica o selo de direita ou esquerda. No Valor, Murillo Camarotto exemplifica que João Doria chama Márcio França de “Márcio Cuba” e não se assume direitista, Marina Silva foge da classificação ‘esquerda’.

“Esquerda virou palavrão e direita continua sendo”, afirma o repórter. Joaquim Barbosa seria uma candidatura de convergência. “Os números do juiz do mensalão mostram que a intolerância com a corrupção agrada gregos, enquanto que a trajetória e as manifestações críticas ao impeachment de Dilma satisfazem troianos”.


Mais conteúdo sobre:

joaquim barbosadireitaEsquerda
VOLTAR PARA O ESTADÃO