27.11.2018 | 07h28

Ernesto: ‘Quero acabar com a ideologia na política externa’

Em artigo publicado no jornal Gazeta do Povo, o futuro ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, diz que recebeu a “missão” de Jair Bolsonaro de “libertar o Itamaraty” e que quer “acabar com a ideologia na política externa” do Brasil. “Algumas pessoas gostariam que o presidente eleito Jair Bolsonaro tivesse escolhido um chanceler que saísse pelo mundo pedindo desculpas. Queriam uma espécie de Ministro das Relações Envergonhadas que chegasse aos parceiros dizendo algo como “Olhem, os brasileiros elegeram Bolsonaro. Não posso fazer nada, é a democracia. Sabem como é, o povo não entende nada. Mas fiquem tranquilos, pois aqui, na frente externa, nada vai mudar”, escreve o futuro chanceler

Ernesto avisa, porém, que seu comportamento será o oposto: “Se a prioridade é extrair a ideologia de dentro do Itamaraty, não lhe parece conveniente ter um chanceler capaz de compreender a ideologia que existe dentro do Itamaraty?”, diz e acrescenta: “Para curar uma doença, não basta dizer que a detestamos, é preciso conhecer suas causas e manifestações, suas estratégias e seus disfarces”. /M.M.


Mais conteúdo sobre:

Ernesto AraújoItamaraty
VOLTAR PARA O ESTADÃO