05.11.2018 | 15h53

Enem ‘alimenta’ Escola sem Partido

O deputado federal eleito Eduardo Bolsonaro criticou nesta segunda, 5, uma questão do Enem que cita o dicionário do universo gay, Aurélia, para defender o programa Escola sem Partido, atualmente em tramitação na Câmara. Após afirmar que “não é requisito para ser ministro da educação saber sobre dicionário dos travestis ou feminismo”, o parlamentar replicou, na sequência, a postagem de uma usuária em defesa da aprovação do polêmico projeto. A previsão é de que emendas ao PL 7180/2014 sejam debatidas em comissão especial na quarta, 7.

 

 

 

Mais conteúdo sobre:

Escola sem partidoEduardo Bolsonaro
VOLTAR PARA O ESTADÃO