30.10.2018 | 11h39

Empresários têm pressa

As atenções de executivos de empresas como Votorantim, Natura, Suzano ou Renner se voltam agora para quando se dará a implantação da agenda liberal do presidente eleito Jair Bolsonaro e também para a formação da equipe econômica que vai trabalhar com o futuro ministro da Fazenda, Paulo Guedes, informa o Estadão.

A única certeza deles é de que é preciso agir rápido, como diz João Miranda (Votorantim): “O presidente e o novo Congresso não poderão se dar ao luxo de esperar”. Walter Schalka (Suzano) vai na mesma toada: “Ainda não sabemos se as reformas necessárias virão. Está cedo para cobrar, mas é bom lembrar que discurso não faz reforma. As primeiras declarações foram positivas, mas superficiais”.


VOLTAR PARA O ESTADÃO