14.03.2019 | 07h16

Embaixadores para melhorar a imagem de Bolsonaro

No café da manhã que teve com jornalistas na quarta-feira, Jair Bolsonaro se queixou de que sua imagem no exterior é de alguém “racista e homofóbico”, o que não corresponderia à verdade. Associou o movimento para trocar os representantes de 15 postos diplomáticos no exterior não apenas às tarefas comerciais e políticas da diplomacia, mas também à necessidade de melhorar essa imagem. Existe uma percepção difundida no governo, segundo reportagem do Estadão nesta quinta, de que muitos embaixadores e cônsules que ocuparam postos de destaque nos governos do PT precisam ser trocados por pessoas mais alinhadas ao governo.

A maior disputa se dá pela Embaixada do Brasil em Washington. O lobby a favor da escolha do consultor Murillo de Aragão enfrenta resistência do setor mais à direita do governo, puxada, uma vez mais, pelo polemista Olavo de Carvalho.


VOLTAR PARA O ESTADÃO