30.03.2019 | 13h33

Em nota, partidos de esquerda condenam louvação do golpe de 1964

Em nota assinada pelos presidentes de PSOL, PDT, PSB, PCB, PT e PCdoB, os partidos de esquerda condenaram o movimento feito pelo presidente Jair Bolsonaro de comemorar o aniversário dos 55 anos do golpe militar de 1964, que acontece neste domingo. No texto, os partidos dizem que no dia do golpe, “iniciava-se um regime autoritário que suprimiu liberdades e direitos civis e políticos, massacrou a oposição, perseguiu, sequestrou, torturou, matou e desapareceu com os corpos de militantes da resistência democrática”.

Os seis partidos usam a nota para criticar o comportamento do presidente, manifestando “sua perplexidade com a desfaçatez com que o Presidente da República, Jair Bolsonaro, adota como chefe de Estado, ao arrepio da Constituição e da Lei, o discurso de louvação desse regime de exceção que marcou sua atuação como parlamentar e candidato. Repudiam a convocação pelo Presidente da República de atos de desagravo ao regime militar e aos piores algozes da democracia produzidos naquele período”. A nota acrescenta que os seus partidos “não aceitam que qualquer instituição da República promova o revisionismo histórico e negligencie a verdade dos fatos que a sociedade brasileira pacientemente veio construindo nos anos de democracia que se sucederam ao regime de exceção, cujo ápice se encontra no relatório da Comissão Nacional da Verdade que concluiu seus trabalhos em 2014”. E concluem com mais críticas a Bolsonaro, dizendo que continuarão “lutando contra os retrocessos sociais, econômicos e culturais que vêm sendo impostos ao povo brasileiro e à soberania da Nação por este novo governo, cujas condições de governar vão desabando perante a população por desatinos e provocações como as que se anunciam para o 31 de março e o 1º. de abril de 2019”. /M.M.

 


VOLTAR PARA O ESTADÃO