21.11.2018 | 13h13

Em Minas, Novo depende do Estado

Da cartilha liberal do Novo, o governador eleito de Minas, Romeu Zema, não pretende colocar em prática o capítulo das privatizações. Em entrevista ao Valor, o novato diz que o processo de venda das estatais, por exemplo, está suspenso. Segundo ele, seria preciso vender seis Cemig’s para resolver o problema de caixa do Estado.

Com uma previsão de déficit orçamentário para 2019 de R$ 11,4 bilhões nas mãos, Zema pretende, no entanto, aderir ao programa de recuperação fiscal do governo federal, rever a estabilidade do servidor público e trabalhar com secretários sem pagar salário, “até o Estado estar em dia com os pagamentos do funcionalismo”.


Mais conteúdo sobre:

Romeu ZemaCemig
VOLTAR PARA O ESTADÃO