14.07.2018 | 14h47

Bolsonaro defende PMs que mataram sem-terra

Após defender que um assassino no Pará merecesse”bala” e não a lei, Bolsonaro voltou a dar uma opinião sobre um crime. Só que desta vez poupando os autores. Em passagem por Eldorado do Carajás, o pré-candidato foi até o local do famoso massacre dos sem-terra por policiais e disse que os PMs envolvidos no caso apenas “reagiram para não morrer” e que “quem tinha que estar preso era o pessoal do MST .

Em 1996, 19 trabalhadores rurais sem-terra foram mortos na chamada Curva do S, um trecho da BR-155, por policiais militares comandados pelo coronel Mário Pantoja, condenado a 228 anos de prisão.


VOLTAR PARA O ESTADÃO