16.07.2018 | 15h33

Em duas semanas, o fim da novela das alianças

A menos de três meses para as eleições, pode parecer estranho que as alianças entre os partidos ainda estejam em aberto, ao contrário do que aconteceu em outros pleitos. Mas, nas próximas duas semanas, com a realização das convenções partidárias, que decidirão se os partidos terão ou não candidato próprio à Presidência, tudo será definido.

Segundo o cientista política Luiz Felipe d’Avila, coordenador do programa de governo de Geraldo Alckmin, pré-candidato pelo PSDB, vai ser um período de intensas negociações, fundamentais para definir os vices, o tempo de TV e os palanques regionais dos candidatos. “A campanha curta beneficia muito quem tem apoio da máquina partidária”, diz d’Avila, ainda confiante na capacidade de Alckmin de atrair os partidos de centro. “Não dá para errar a mão na hora de avaliar quem tem mais condições de decolar na campanha.” / José Fucs


VOLTAR PARA O ESTADÃO