22.03.2018 | 09h58

Em carta, Barroso nega acusação de Gilmar sobre escritório

O bate-boca entre os ministros do STF Gilmar Mendes e Luís Roberto Barroso terminou na noite de quarta, 21, com uma frase enigmática de Gilmar contra o colega: “O senhor deveria fechar seu escritório de advocacia”. Horas mais tarde, Barroso se retratou por meio de carta à presidente Cármen Lúcia:

“Diante da afirmação falsa feita hoje no plenário, venho formalmente comunicar a Vossa Excelência que me desliguei do escritório que integrei, em data anterior à minha posse, e que jamais atuei em processo por ele patrocinado ou por qualquer dos seus sócios”, disse Barroso.

“A esse propósito, no meu primeiro dia no Tribunal – 27 de junho de 2013 – oficiei formalmente à Secretaria Judiciária da Presidência para que não me fosse distribuída ação em que o escritório ou qualquer dos seus sócios atuassem”, acrescentou.


Mais conteúdo sobre:

gilmar mendesLuís Roberto Barroso
VOLTAR PARA O ESTADÃO