12.02.2019 | 14h32

Em busca de adicional, procuradores cruzam os braços

Trinta e quatro procuradores estão de braços cruzados desde a noite de segunda-feira, 11, diante das atividades que desempenhavam em grupos de trabalho, comitês e subcomitês no Ministério Público Federal para pressionar a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, a compensá-los pela perda do auxílio-moradia, informa o Broadcast Político.

Eles querem receber 16% a mais nos salários para participar de grupos de trabalho ou comissões temáticas para os quais hoje são voluntários. O adicional representa cerca de R$ 4.377 a mais no contracheque, mesmo valor do auxílio-moradia que era pago indistintamente até o Supremo extinguir o benefício no ano passado.

 


VOLTAR PARA O ESTADÃO