14.03.2019 | 19h57

Eleição na Alesp vai para o ‘tapetão’?

Com a vitória de Cauê Macris na eleição para presidência da Assembleia Legislativa de São Paulo parecendo consolidada, parlamentares favoráveis a Janaína Paschoal tentam impedir na Justiça que o tucano participe do pleito. O deputado Gil Diniz (conhecido como “Carteiro Reaça” na internet), futuro líder do PSL na Alesp, entrou com um mandado de segurança alegando que o artigo 11 da Constituição Estadual veda a “recondução para o mesmo cargo na eleição imediatamente subsequente”, segundo o Estadão.

A reeleição na Alesp não é uma novidade. Barros Munhoz foi reconduzido ao cargo em 2011. Na ocasião, a justificativa foi que as eleições vencidas por ele foram em legislaturas diferentes, mesma situação que ocorre no pleito desta sexta-feira. Sobre o caso, Macris disse que “estão apelando para a técnica do tapetão”. “Eleição se ganha no voto”, afirmou.


VOLTAR PARA O ESTADÃO