29.09.2018 | 13h03

Efeito teflon

A candidatura de Jair Bolsonaro se mostra revestida do que em jornalismo se batizou de “efeito teflon”: nenhuma acusação de adversários ou da imprensa é capaz de abalar sua imagem perante os eleitores já fidelizados. A análise é de Paulo Celso Pereira em O Globo. “Em 2014, após ser alvo de intensa campanha de TV que associava sua proposta de independência do Banco Central à possibilidade de famílias ficarem sem ter o que comer, Marina Silva derreteu velozmente. Nas últimas semanas, Bolsonaro foi alvo de um intenso bombardeio dos adversários — e manteve-se inabalável do alto dos mesmos 28%, na liderança da corrida eleitoral”, compara.


VOLTAR PARA O ESTADÃO