10.09.2018 | 16h57

‘Efeito eleição’ e a desigualdade

A pobreza deve ter uma pequena redução em 2018, a primeira desde 2014, segundo o Valor. Apesar da crise persistente, o ciclo eleitoral contribui com a queda. O próximo presidente assumirá o País com 22,83 milhões de pessoas vivendo abaixo da linha da pobreza, contingente 470 mil menor do que o registrado no fim de 2017.

Renda do trabalho, programas de transferência de renda, como o Bolsa Família, desigualdade social e o avanço do PIB per capita são alguns dos indicadores que apontam para essa conclusão.


Mais conteúdo sobre:

desigualdadeeleição
VOLTAR PARA O ESTADÃO