01.03.2019 | 07h51

Eduardo escalado para ‘bater’ em Ilona

Se Carlos foi o filho escalado para “bater” em Gustavo Bebianno na crise que deflagrou a queda do ministro, parece que Eduardo Bolsonaro foi o escolhido para defenestrar a cientista política Ilona Szabó (exonerada por causa da “pressão” de Jair Bolsonaro sobre Sergio Moro) e Renato Sérgio de Lima, que pediu demissão do  Conselho Nacional de Segurança Pública e Defesa Social em solidariedade à colega. O deputado tirou a noite da última quinta-feira para jogar gasolina na fogueira e defender a saída dos especialistas em uma série de tuítes. Eles justifica a caça às bruxas das redes sociais com o primeiro artigo da Constituição “todo o poder emana do povo” e culpou as ideias de Ilona e Lima como responsáveis pela violência no Brasil.


“Esse é o tipo de pessoa que há décadas dita as políticas de segurança que nos levaram a 62 mil homicídios por ano. Elegemos Bolsonaro para fazer o contrário, não para ser bom moço com quem sempre se lixou para nossas vidas e a de nossos policiais”, escreveu.

VOLTAR PARA O ESTADÃO