22.02.2019 | 17h57

Eduardo Bolsonaro questiona norma do Exército

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ) contestou pelo Twitter nesta tarde de sexta, 22, atribuições do Exército garantidas em decreto sobre os chamados “produtos controlados”, como armas utilizadas por colecionadores, atiradores e caçadores (CAC).


No microblog, ele reproduz um ofício do Comando da 3ª Região Militar, em Porto Alegre, endereçado aos CACs, no qual é reiterado que “o decreto 9493 prevê especificamente como infração administrativa a conduta de portar ou ceder arma constante do acervo de CAC para segurança pessoal”. Flávio, então, questiona que “se o problema for a lei, deixa que a gente tenta alterar, mas vocês não precisam botar em suas portarias normativas que acabam por piorar a vida do atirador. O princípio norteador tem que ser o de dificultar a vida do bandido, não a do CAC”.

 

VOLTAR PARA O ESTADÃO