14.02.2019 | 17h22

‘Economist’ cita ‘risco à reputação de Moro’

A revista britânica The Economist aponta em sua recente edição os principais desafios do ministro Sérgio Moro à frente do Ministério da Justiça a partir de uma entrevista feita com o ex-juiz da Lava Jato. Um deles é coordenar a pasta, a Polícia Federal e uma agência contra a lavagem de dinheiro (Coaf). “A missão dele é fazer com que o governo federal aplique o mesmo zelo com que ele aplicava em seu tribunal (13.ª Vara Criminal de Curitiba) na luta contra a corrupção e o crime violento e organizado. É uma causa popular. Mas há riscos, tanto para sua reputação quanto para o Brasil”, diz a publicação.

Além de citar o caso Queiroz, que fragilizou o senador Flávio Bolsonaro, a revista analisa o pacote anticrime de Moro. “Reduzir crime envolve mais que leis mais rígidas. É preciso mais policiamento e trabalho comunitário nas favelas. Muito disso é trabalho dos governos estaduais, mas requer coordenação de cima. O ministro diz que Bolsonaro o fará, mas é difícil ver o presidente interessado em tal nível de detalhe. Bolsonaro já editou um decreto liberando a posse de arma contra o conselho de Moro”, informa a revista.


Mais conteúdo sobre:

sergio moropacote anticrimeEconomist
VOLTAR PARA O ESTADÃO