30.09.2018 | 08h39

É só lembrar quem é vice

Quem viveu a ascensão e queda de Fernando Collor nos anos 1990 desconfia agora se Jair Bolsonaro, caso eleito, seja capaz de montar uma coalizão. Está mais para “colisão”, conforme diz Roberto Jefferson, condenado no mensalão, ao colunista Bruno Boghossian, na Folha.

No entanto, não deve sofrer tentativa de afastamento, segundo o aliado de Collor na fase do impeachment. “O pessoal vai lembrar que o vice não será o Itamar. É Manuela ou general Mourão. Todo mundo vai pensar duas vezes”, diz à publicação.


VOLTAR PARA O ESTADÃO