24.04.2018 | 11h24

E se não forem vândalos?

Ao deixar a Prefeitura, João Doria entregou a São Paulo um muro de vidro instalado em terreno da USP. Desde lá para cá, houve três registros de danificação. O atual prefeito, Bruno Covas, acredita que seja ação de vândalos.

Câmeras de vigilância já instaladas no local precisam ainda ser “conectadas ao sistema de acompanhamento da Prefeitura”, segundo o prefeito, na tentativa de flagrar os supostos autores da depredação. Mas o que se suspeita agora é se os vidros foram mal instalados. Estão envolvidas no projeto 45 empresas em torno de um orçamento de R$ 15 milhões.


Mais conteúdo sobre:

João DoriaBruno Covas
VOLTAR PARA O ESTADÃO