29.09.2018 | 11h12

E o fim das decisões monocráticas?

José Antonio Dias Toffoli fez um esforço de mudança de imagem logo antes de sua posse, tentando se apresentar como aquele conciliador que ia por fim às disputas internas do STF e ao império das decisões monocráticas em detrimento das colegiadas.

Desde que assumiu, no entanto, Gilmar Mendes continua concedendo liminares para presos ou investigados na Lava Jato ou em outras operações, Ricardo Lewandowski concedeu monocraticamente direto a que Lula conceda entrevistas e Luiz Fux cassou a decisão, também de forma solitária. E Luis Barroso deu entrevistas atacando indiretamente Gilmar, como antes. O que mudou afinal, presidente Toffoli? / V.M.


VOLTAR PARA O ESTADÃO