23.08.2018 | 18h11

E não é que o PT pode crescer nos Estados?

O PT avisou que sua prioridade é “eleger Lula” (ou o “poste”)  e abriu mão de alguns Estados para manter o PSB neutro na eleição nacional. E a decisão pode sair melhor do que a encomenda. Como mostram as pesquisas para as eleições estaduais, os petistas podem eleger mais governadores do que em 2014, quando conquistou cinco Estados.

Segundo os levantamentos, hoje o PT têm sete candidatos aos governos estaduais liderando ou disputando o primeiro lugar. Camilo Santana (Ceará), Wellington Dias (Piauí) e Rui Costa (Bahia) podem se reeleger no primeiro turno. O governador de Minas, Fernando Pimentel disputa uma vaga no segundo turno.  No Acre (onde o atual governador é o petista Tião Viana), Marcus Alexandre está empatado com Gladson Camelli (PP) na liderança da disputa (ambos com 37%). Décio Lima, em Santa Catarina, lidera numericamente (empatado tecnicamente com o emedebista Mauro Mariani). Fátima Bezerra está tranquila na ponta no Rio Grande do Norte.


VOLTAR PARA O ESTADÃO