05.09.2018 | 11h24

É mole para Amoêdo (2)

O cálculo de João Amoêdo, quando prioriza o combate à pobreza e não a desigualdade social, numa lógica de dissociação dos dois fatores, é o seguinte: “As pessoas são diferentes nas suas características, têm gostos diferentes, têm ambições diferentes. Umas gostam de trabalhar mais para ganhar mais ou de trabalhar menos porque querem ter uma qualidade de vida melhor. Tem pessoas com vantagens competitivas diferentes. Não tem por que tornar todo mundo igual”, teorizou na entrevista.


Notícias relacionadas

Mais conteúdo sobre:

João Amoedodesigualdadepobreza
VOLTAR PARA O ESTADÃO