19.09.2018 | 18h58

Dois pesos, duas medidas de Marinho

Luiz Marinho (PT) parece não acreditar no velho ditado que “pau que dá em Chico, dá em Francisco”. Ao mesmo tempo que alfineta (anonimamente) João Doria por ter sido condenado por improbidade administrativa pelo uso indevido da marca “Cidade Linda”, defende o ex-presidente Lula, preso por corrupção e lavagem de dinheiro.

Durante o debate do SBT entre os candidatos ao governo de São Paulo, também tentou limpar a própria barra. Marinho é réu por suspeita de fraude na construção do Museu do Trabalho. “Ser réu não é ser culpado”, justificou.


VOLTAR PARA O ESTADÃO