11.07.2019 | 07h33

Do Marcelo: Oposição teve 19 dissidentes. Vão expulsar todos?

Todo o processo de votação da reforma da Previdência exibiu a fragilidade política da oposição nessa discussão. Com exceção de PDT e PSB, os outros partidos da esquerda, em nenhum momento, se preocuparam em apresentar alguma alternativa para o quebrado sistema previdenciário nacional. Pelo contrário. O PT segue na sua pregação pela liberdade do ex-presidente Lula e parece não pensar em mais nada. Já o Psol tem preferido mirar no ministro da Justiça, Sérgio Moro, e no vazamento de mensagens dele com procuradores da Lava Jato. Além de muita gritaria, os deputados dos dois partidos não se interessaram em trazer algo para a mesa desse debate.

PDT e PSB pareciam ser exceções tratando do tema. O PDT chegou a organizar seminários de debates. O deputado Mauro Benevides Filho (CE) chegou a ser cotado para relatar a proposta. Os dois partidos acabaram desembarcando da reforma, mas vários de seus integrantes seguiram discutindo. Por isso, surpreende quando os dirigentes do PDT e do PSB acenam com punições contra seus dissidentes na reforma por terem decidido que votariam a favor da reforma. Pior ainda é a pressão feita pela deputada Tabata Amaral (PDT-SP), destaque da nova geração de parlamentares. O PDT teve oito “traidores”, mas apenas Tabata foi exposta nos últimos dias. No PSB, 11 deputados votaram com a reforma. Em vez de promover uma espécie de expurgo interno, a oposição deveria tentar entender porque uma reforma polêmica quanto a previdenciária foi aprovada por tão grande maioria (379 votos, quando eram necessários 308). Poderia refletir também se o grupo não deveria realinhar suas discussões. E a pergunta é: além de perderem feio na reforma, PDT e PSB vão expulsar alguns de seus melhores quadros apenas por conta de divergência de visão na reforma?  Veja aqui a lista de dissidentes: PSB – 11 votos a favor da reforma: Átila Lira (PI), Emidinho Madeira (MG), Felipe Carreras (PE), Felipe Rigoni (ES), Jefferson Campos (SP), Liziane Bayer (RS), Luiz Flavio Gomes (SP), Rodrigo Agostinho (SP), Rodrigo Coelho (SC), Rosana Valle (SP) e Ted Conti (ES). Pelo PDT foram oito: Alex Santana (BA), Flavio Nogueira (PI), Gil Cutrim (MA), Jesus Sérgio (AC), Marlon Santos (RS), Silvia Cristina (RO), Subtenente Gonzaga (MG) e Tabata Amaral (SP). /Marcelo de Moraes


VOLTAR PARA O ESTADÃO