09.01.2019 | 12h46

Do Marcelo: Governo precisa falar a mesma língua

O governo de Jair Bolsonaro terá, provavelmente, a maior chance entre os últimos presidentes de conseguir aprovar uma reforma da Previdência de fato. Existe apoio aparente dentro do Congresso e entre os governadores a essa ideia. E, conforme o teor da proposta, a opinião pública poderá aprovar s mudança sem grande choro ou ranger de dentes. Mas, para que esse cenário não se desfaça, o governo precisa que seus integrantes falem a mesma língua sobre o tema e não tentem remar o mesmo barco para direções diferentes ao mesmo tempo.

Já está dado que o governo bateu cabeça sobre o assunto na semana passada. Quando Jair Bolsonaro anunciou uma proposta mais suave do que se imaginava para a Previdência, com idades mínimas menores, a economia reagiu mal porque sabe que esse formato não acaba com a crise do sistema. Agora, o ministro Paulo Guedes retoma a sinalização de que a proposta será mais abrangente, animando o mercado. Mas traz de volta, também, a proposta de regime de capitalização, que tem zero consenso dentro do Congresso. Nesse momento, é vital que os principais integrantes do conversem entre si para pactuar qual proposta será apresentada e defendida por todos. Construir uma Torre de Babel na discussão da reforma só vai produzir mais confusão e dificultar uma votação crucial para o governo. /Marcelo de Moraes


Mais conteúdo sobre:

Do Marceloreforma Previdência
VOLTAR PARA O ESTADÃO