20.11.2018 | 12h55

Do Marcelo: É um acerto manter CGU com status de ministério

Há uma clara cobrança da sociedade por medidas de combate à corrupção, especialmente dentro da máquina administrativa federal. Isso apareceu durante a campanha e o elevado índice de renovação no Congresso e nos governos estaduais mostra como o eleitorado perdeu a paciência com os escândalos envolvendo a chamada “velha política”.

Ao escolher o juiz Sérgio Moro para comandar um reforçado Ministério da Justiça, Jair Bolsonaro já tinha mostrado que entenderá o recado dos eleitores. Agora, ao manter a Controladoria-Geral da União (CGU) como ministério independente, em vez de absorver sua estrutura dentro de outra pasta, reforça publicamente essa compreensão. Se a pasta será eficiente, é outra história e cabe ao presidente eleito lhe cobrar resultados. /Marcelo de Moraes


Mais conteúdo sobre:

Do MarceloMoroCGUwagner Rosário
VOLTAR PARA O ESTADÃO