29.05.2018 | 21h41

Do Fucs: O saldo negativo de Bolsonaro na ‘greve’

É difícil dizer no momento, no calor dos acontecimentos, em que medida o apoio de Jair Bolsonaro ao movimento dos caminhoneiros prejudicará a sua campanha e a sua imagem de cão de guarda. Mas, como o próprio JB parece ter percebido, ao pedir “para que tudo volte à normalidade” em sua página no Twitter, a impressão é que ele perdeu mais do que ganhou com tudo isso.

Ao insuflar os protestos e defender privilégios para os caminhoneiros, Bolsonaro pode até ter agradado os convertidos, que se manifestaram com furor revolucionário em favor dos ‘grevistas’ nas redes sociais. Mas colocou em xeque, numa só tacada, duas de suas principais bandeiras eleitorais, que poderiam contribuir para a conquista de novos seguidores. A ordem, ao abraçar a baderna criminosa que paralisou o País, e o propalado verniz liberal, ao aprovar o  intervencionismo estatal mais anacrônico, que marcou a sua trajetória política, em benefício de grupos de pressão. / José Fucs


VOLTAR PARA O ESTADÃO