06.04.2018 | 19h48

Do Fucs: Fascistas, só os outros

Na guerra de narrativas que assola o País, virou lugar comum a esquerda chamar os adversários de “fascistas” e “nazistas”. Para Lula e outros líderes do PT e de seus satélites, como o MST, o MTST e a CUT, o bloqueio da entrada da caravana petista em cidades do sul, o recebimento de ovadas em atos do partido e as manifestações orais de intolerância contra seus líderes recebem os rótulos malditos. Até os responsáveis pelos tiros contra os ônibus de Lula, cuja autoria ainda está sob investigação, são enquadrados por antecipação nas categorias odiosas.

Agora, quando grupos de apoiadores do ex-presidente se organizam para evitar que a PF possa detê-lo, quando atacam veículos da imprensa, quando bloqueiam rodovias pelo Brasil afora ou quando erguem barricadas urbanas com pneus em chamas, isso é “resistência democrática”. Para a esquerda, fascistas e nazistas, só os outros. Diante do uso seletivo, porém, as duas palavras perderam o real significado. Hoje, não passam de recurso ardiloso para tentar intimidar os opositores. José Fucs

 

 


 

VOLTAR PARA O ESTADÃO