23.11.2018 | 17h00

Do Fucs: Bolsonaro mata a cobra e mostra o pau (1)

O presidente eleito Jair Bolsonaro pode ser criticado por vários motivos desde que venceu as eleições, em 28 de outubro. Pode-se criticá-lo, por exemplo, pelo vai e vem em suas decisões, pelos ruídos e rusgas que pipocam a céu aberto entre integrantes de sua equipe e pela falta de um esquema profissional de comunicação para apoiá-lo. Mas de uma coisa não se pode acusar Bolsonaro até agora: falta de coerência.

Praticamente nada que JB fez nestes quase 30 dias de transição — da montagem do ministério ao anúncio antecipado de medidas que pretende tomar no governo — está em desacordo com as promessas de campanha que o levaram à vitória. Como havia anunciado, deu autonomia quase absoluta para Paulo Guedes rechear de liberais o superministério da Economia. Com a indicação de Moro para o ministério da Justiça e  Segurança Pública, JB também não deixou dúvidas de seu compromisso com o combate à corrupção. (clique aqui para ler a continuação da nota) / José Fucs

 

 


 

VOLTAR PARA O ESTADÃO