24.08.2018 | 18h35

Do Fucs: A sinuca de Alckmin na campanha

Com o presidenciável Geraldo Alckmin patinando nas pesquisas, intensificaram-se os questionamentos no ninho tucano sobre a melhor estratégia para ele chegar ao segundo turno. A grande dúvida, ao que parece, é sobre o tratamento a ser dado a Jair Bolsonaro e ao PT na campanha, com maior ou menor dose de truculência. Provavelmente, em meio à gritaria geral e à polarização política, a melhor estratégia seria Alckmin ser ele mesmo, reforçando seu perfil de equilíbrio e racionalidade.

Isso não excluiria, é claro, um chega pra lá aqui, uma canelada ali, em seus principais adversários. O problema é que, hoje, talvez, o momento da sociedade não seja de moderação e bom senso. Segundo as pesquisas, há também um forte sentimento de rejeição aos políticos tradicionais e ao establishment, que Alckmin representa. Neste cenário, a estagnação do ex-governador de São Paulo nas pesquisas pode ter menos a ver com a sua estratégia de campanha do que com o descompasso entre seus pontos fortes e o ambiente tóxico que contagiou o País. / José Fucs


VOLTAR PARA O ESTADÃO