27.03.2018 | 20h09

Do Fucs: a Netflix, as esquerdas e a ‘censura do bem’

A campanha quixotesca que está rolando nas redes sociais, em defesa do cancelamento de assinaturas da Netflix, por causa de uma frase do senador Romero Jucá atribuída ao personagem que interpreta Lula na série O Mecanismo, de José Padilha, mostra bem as contradições das esquerdas no País.

De um lado, acusam seus adversários de “nazistas” e “fascistas” e de querer impor censura às artes, como aconteceu quando grupos conservadores se mobilizaram para defender o fechamento da exposição Queermuseu, no ano passado, em Porto Alegre. Quando lhes convêm, porém, as esquerdas adotam, sem constrangimento, a mesma atitude que criticam, como no caso da Netflix. Só que não há “censura do bem” e “censura do mal”. Censura é censura e não tem ideologia. José Fucs

 


VOLTAR PARA O ESTADÃO