26.04.2019 | 21h15

Distrações da Presidência

Na quarta-feira, 24, o Caged registrou o fechamento de 43 mil postos de trabalho formal e, na segunda-feira, 22, a projeção de crescimento do PIB foi novamente reduzida. Paralelamente, mas no sentido contrário, a semana do presidente Jair Bolsonaro foi marcada por medidas polêmicas e que nada têm a ver com economia, como o veto a um comercial do Banco do Brasil.

“Bolsonaro patina diante do desafio de retomar o crescimento econômico e não consegue aprovar seus projetos no Congresso, mas prefere trabalhar como gerente de marketing, fiscal escolar e agente de viagens”, avalia Bruno Boghossian em sua coluna na Folha, nesta sexta-feira, 26.


VOLTAR PARA O ESTADÃO