24.10.2018 | 09h18

Disputa pelo comando da oposição

Passada a eleição, o PT deve viver dias ainda mais turbulentos. A se confirmar a vitória de Jair Bolsonar apontada pelas pesquisas, o partido tentará evocar sua condição de maior bancada na Câmara para capitanear a oposição, mas não terá uma adesão imediata de partidos como PDT, PSB e o bloco que vai se formando por Rede, PV e PPS.

As siglas pretendem se descolar do PT e fazer o contraponto às pautas do bolsonarismo nas áreas econômica e social. Avaliam que os petistas estarão ocupados disputando o controle da própria legenda e discutindo ad eternum o futuro judicial de Lula e deixarão um vácuo programático a ser ocupado, o que pavimentará o caminho para as eleições municipais de 2020 e as gerais de 2022. / Vera Magalhães


VOLTAR PARA O ESTADÃO