16.11.2018 | 12h55

Disputa acirrada pelo MEC

Nomes técnicos, políticos e do meio militar encabeçam uma das disputas mais indefinidas até agora na composição do novo ministério: pela Educação. Reportagem do Valor desta sexta-feira radiografa os nomes colocados à mesa e como essas três áreas de influência do presidente eleito disputam a influência na área. Pelos militares, o nome para a área é o do general da reserva Aléssio Ribeiro Souto.

Já o nome “técnico” no grupo que atuou na campanha de Bolsonaro é o consultor de origem grega Stavros Xanthopoylos, diretor da Associação Brasileira de Educação à Distância e ex-diretor da FGV Online. Bolsonaro tem conversado também com Viviane Senna, e pode nomear Mozart Ramos, do Instituto Ayrton Senna. Na ala política, há um lobby para emplacar a volta de Mendonça Filho ao posto –o que pode ser dificultado pela predominância do DEM na formação do primeiro escalão até aqui. / V.M.

 


VOLTAR PARA O ESTADÃO