26.08.2018 | 11h27

‘Disparidade antidemocrática no tempo de TV’

O tempo de TV é visto por alguns candidatos (em especial, Geraldo Alckmin) como fundamental para o crescimento nas pesquisas. Mas para Jânio de Freitas em sua coluna da Folha, ele é também “antidemocrático”. “Por mais que a eficácia da propaganda gratuita em TV seja relativa, a disparidade entre os tempos dos candidatos é uma aberração antidemocrática”, afirma o colunista.

“Em casos como o de Geraldo Alckmin, a desproporção é produto de transações espúrias que associam partidos, seus tempos e ainda as quantidades de inserções”, diz. “Alckmin não inova nesse sistema eleitoral repleto de deformações, repetidas a cada eleição. Joga como sempre foi o jogo dos que se aliam a qualquer um, sem se apegar a exigências contrárias à ambição. Se dava para fazer o negócio, fez.”


VOLTAR PARA O ESTADÃO