12.10.2018 | 10h49

Direito à neutralidade

“O caminho do meio acabou dando em lugar nenhum, e os cerca de 10% do eleitorado que o trilharam têm agora a perspectiva de redefinir seu apoio — ou não dá-lo a ninguém”, escreveu Eduardo Affonso no Globo. O colunista defende o direito de o eleitor escolher a neutralidade e não precisar escolher entre o discurso autoritário e retrógrado de um lado quanto com as artimanhas e falácias.


VOLTAR PARA O ESTADÃO