20.09.2018 | 13h53

‘Diplomacia do compadrio’

“A principal ideia-força é simples de entender: o Brasil é necessariamente potência revisionista. Segundo a tese, o problema é que terceiros países estariam tentando enquistar o Brasil no atraso. Para reverter essa tendência, a campanha lança mão de numerosas iniciativas”, escreveu Matias Spektor na Folha.

O colunista propõe uma discussão sobre a plataforma de política externa de Ciro Gomes (PDT) e afirma que, se implementada, deixará o Brasil ainda mais fraco.


VOLTAR PARA O ESTADÃO