14.09.2018 | 06h44

Detetives virtuais tumultuam e ameaçam

A Polícia Federal se preocupa com uma onda de investigações paralelas promovida por apoiadores de Jair Bolsonaro, que começou nas redes sociais mas já extrapolou para fora delas, sobre o atentado cometido contra o deputado. Pessoas apontadas erroneamente como “suspeitas” denunciam à PF estar sofrendo perseguição e ameaças, como mostra reportagem do Estadão.

A estudante Aryane Campos, de 18 anos, relata a caçada que sofreu, que começou nas redes, mas culminou com visitas à sua casa e admoestações até a sua mãe.


VOLTAR PARA O ESTADÃO