10.01.2019 | 23h00

Destaques do dia: Furacão vai para o Itamaraty

Se na última quarta-feira o olho do furação esteve no MEC, nesta quinta ele se deslocou para o Itamaraty. Pelo segundo dia seguido, um dos ‘ministros do Olavo’ gerou um incêndio no governo Bolsonaro. Desta vez, Ernesto Araújo demitiu via Twitter o presidente da Apex, Alex Carreiro. Só que esqueceu de combinar com o demitido. Ele foi trabalhar normalmente e disse só aceitar ser mandado embora pelo próprio presidente da República. No final do dia, Bolsonaro recebeu no Planalto o novo indicado ao cargo, o embaixador Mário Vilalva, para colocar água na fervura. O presidente também acalmou a situação no acordo entre a Embraer e a Boeing. Ele se reuniu com os ministros e ao final da reunião, deu sua bênção ao casamento das suas empresas.

Do outro lado da fronteira brasileira estava Gleisi Hoffmann. A presidente do PT virou alvo nas redes sociais pela decisão de ir prestigiar a posse de Nicolás Maduro na Venezuela. Tomou uma chuva de “deslikes”. Maduro, por sua vez, não dispensou as bravatas contra o presidente do Brasil, chamando Bolsonaro do já tradicional “fascista”. O Itamaraty respondeu, classificando Maduro como um “ilegítimo”.

No Rio, Flavio Bolsonaro não foi prestar esclarecimentos ao Ministério Público sobre as movimentações atípicas nas contas de Fabrício Queiroz. Ele justificou afirmando que precisará de mais informações para falar sobre o caso. Só que assim como fez seu ex-assessor, ele topou dar uma entrevista na qual bateu nas investigações por “estarem direcionadas para envolver a família Bolsonaro’. E Renan calheiros comemora o decisão de Dias Toffoli de manter a votação à presidência do Senado secreta.

Quer saber mais? Receber as principais notícias do BR18 no seu e-mail? É só se cadastrar na nossa newsletter, na caixa que fica na coluna da direita aqui do site.


Você vai receber um e-mail por dia com os assuntos mais importantes sobre a política nacional.

VOLTAR PARA O ESTADÃO