31.05.2018 | 07h55

Desintegração da capacidade do Estado

O apoio de parcela da população à paralisação dos caminhoneiros pode receber duas leituras, sugere o jornalista William Waack neste quinta no Estadão. A primeira é de que uma fatia das pessoas não entende que dinheiro público é dinheiro delas.

A outra é uma suposta percepção de “mal necessário para que dessa situação crítica renasça um novo País, não importam os danos imediatos causados à economia”. “Temo ter de dizer que esse flerte com o abismo, registrado nos últimos dias, seja a expressão da desintegração (que não me parece meramente passageira) da capacidade do Estado de impor diretrizes e autoridade.”


Mais conteúdo sobre:

greve dos caminhoneiroswilliam waack
VOLTAR PARA O ESTADÃO