10.09.2018 | 17h40

Denúncia de fraude em consignado em Minas

O governo de Fernando Pimentel (PT) em Minas Gerais teria descontado dos contracheques dos servidores públicos mais de R$ 924 milhões relativos a operações de crédito consignado, sem repassar o valor às instituições financeiras. A informação foi publicada pelo jornal O Tempo a partir de comunicado da Federação Brasileira dos Bancos a à Justiça.

O processo diz respeito a um servidor que teve o nome incluído em cadastro de restrição ao crédito, mesmo tendo tido o valor do consignado descontado do salário. O desembargador responsável pelo caso notificou a Procuradoria Geral da República (PGR) e a Procuradoria Geral de Justiça (PGJ) para apuração de eventual conduta ilícita penal praticada pelo secretário de Estado de Fazenda, José Afonso Bicalho.

 


VOLTAR PARA O ESTADÃO