03.09.2018 | 08h28

De saída

Com a proximidade do fim do governo de Michel Temer, secretários e diretores de cargos de confiança começam a negociar recolocação no mercado privado. Nos últimos quatro meses a Comissão de Ética Pública da Presidência aprovou 48 pedidos de quarentena, informou a Coluna do Estadão.
Durante a quarentena, esses funcionários não poderão exercer atividades em áreas afins às que exerciam no governo.


Notícias relacionadas

Mais conteúdo sobre:

governo michel temer cargos
VOLTAR PARA O ESTADÃO