24.04.2018 | 20h12

De Mario Vitor: ‘Não houve nada de excepcional’

Falei há pouco com o ministro do STF, Gilmar Mendes, que minimizou o burburinho gerado no fim da tarde desta terça, 24, após a decisão da Segunda Turma de retirar das mãos do juiz Sérgio Moro os trechos da delação da Odebrecht que envolviam o ex-presidente Lula.

“Não houve nada de excepcional”, disse o ministro, quando confrontado sobre a nota da defesa do ex-presidente Lula, comemorando a decisão. “A decisão pode ser revista, o próprio ministro Fachin já afirmou isso em mais de uma ocasião”, disse, para então complementar: “Trata-se de uma repetição de outras decisões de teor idêntico, quando não se vislumbra vinculação expressa com Petrobras”. / M.V.


VOLTAR PARA O ESTADÃO