01.11.2018 | 11h21

De ex-superministro para superministro

Superministro durante o período da ditadura, o economista Delfim Netto não vê problema na fusão das pastas da Fazenda com o Planejamento e Indústria, em entrevista ao O Globo. Segundo ele, ainda é cedo para criticar, a exemplo de vários representantes dos três setores, mas que a nova estrutura deve, sim, funcionar, desde que os secretários executivos de cada uma das áreas trabalhem em sintonia.

“Nesse modelo, o CMN (Conselho Monetário Nacional) não faz mais sentido nas decisões de política monetária. Acho que esses instrumentos como o CMN tinham pouca eficácia. É saudável que se busquem instrumentos novos”, sugeriu.


Mais conteúdo sobre:

Delfim NetoFazenda
VOLTAR PARA O ESTADÃO