11.02.2019 | 12h47

De discreto à ‘ministro pensador’

Com carreira discreta na instituição onde atuou por quase 30 anos, a Universidade Federal de Juiz de Fora, Ricardo Vélez Rodríguez foi elevado à posição de ministro da Educação por meio de indicação do ideólogo Olavo de Carvalho. Mas isso só aconteceu depois de ala evangélica rechaçar o nome do educador Mozart Ramos, do Instituto Ayrton Senna.

No MEC, Vélez Rodríguez cercou-se de ex-alunos (três dos seis secretários, grupo que ele chama de aluninhos), abrigou militares e tem buscado para si a posição de um “ministro pensador”, indica o perfil do ministro na Folha.


VOLTAR PARA O ESTADÃO