18.10.2018 | 08h20

Da Vera: O risco das agendas setoriais

Uma candidatura como a de Jair Bolsonaro, que não nasce de um partido estruturado e vai colecionando adesões setoriais à medida em que avança, tem de enfrentar um problema típico: a tentativa de captura de nacos de poder e do Estado por pautas setoriais que, muitas vezes, não levam em conta o interesse público mais amplo.

A afoiteza demonstrada por apoiadores do candidato, como Nabhan Garcia, de mostrar que sua agenda terá ascendência sobre o candidato impõe a Bolsonaro a necessidade de coibir a pressa e a fome de aliados novos ou históricos, sob pena de que os conflitos desses interesses paroquiais prejudique a largada econômica e parlamentar de seu governo, caso seja eleito –que terá de priorizar aspectos mais macro, como a grave questão fiscal. / Vera Magalhães


VOLTAR PARA O ESTADÃO