23.07.2018 | 15h17

Da Vera: O ‘liberalismo’ de Haddad (2)

Quando fala de seu choque de liberalismo (sic) para reduzir os spreads bancários, Fernando Haddad recorre à velha fórmula intervencionista que vigorou no governo Dilma Rousseff. Diz que “quem se adequar às regras terá prêmios”, defendendo progressividade de tributos para os bancos para “induzir” (o verbo é dele) um certo “comportamento desejável” dos bancos privados (desejável pelo governo, no caso).

E, claro, como fez Dilma, Haddad também defende usar os bancos públicos para “induzir” (a aspa agora é minha) o tal comportamento “desejável” (eu, de novo) dos bancos. Liberalismo, como se vê. / V.M.


VOLTAR PARA O ESTADÃO