30.04.2019 | 10h12

Da Vera: Moro precisa de uma bancada ‘morista’

Quando decidiu trocar a magistratura pelo Executivo, como funcionário, e não como mandatário eleito, Sérgio Moro talvez não tenha calculado corretamente o risco político que estava assumindo. Sendo, como é, alguém com uma dimensão maior que qualquer dos agentes políticos com os quais teria de passar a lidar, seria naturalmente alvo de constantes iniciativas para lhe cortar as asas. É isso que vive desde janeiro, com movimentos que partem ora do próprio presidente, ora do Congresso, ora de entidades como a OAB.

Mesmo no STF, onde já não esconde que gostaria de chegar se ganhasse na loteria, Moro não tem exatamente um fã clube. A única forma que o ministro tem de não ver suas iniciativas caírem por terra uma a uma é se articular politicamente, criando uma “bancada morista” no Congresso, e usar o aval que tem junto à opinião pública para se cacifar nesses embates –como o atual, em torno da permanência ou não do Coaf sob o guarda-chuva da sua pasta. Ou então será sucessivamente tolhido por aqueles que querem reduzir seu tamanho adquirido na Lava Jato. / Vera Magalhães


VOLTAR PARA O ESTADÃO