16.11.2018 | 08h39

Cubanos e o risco à popularidade

A anunciada saída em massa de médicos cubanos do Brasil, provocada por decisão do governo de Cuba em retaliação a declarações de campanha de Jair Bolsonaro, é um risco à popularidade do presidente eleito na largada de seu governo, justamente em reigiões nas quais não saiu vitorioso em outubro.

Independentemente de as restrições de Bolsonaro ao Mais Médicos serem embasadas –e algumas de fato são– e de o êxodo ter sido uma decisão unilateral de Cuba, a população que ficar desassistida de um dia para outro tende a atribuir a falta de médicos a Bolsonaro. As medidas emergenciais já anunciadas, como editais para a contratação de médicos brasileiros, devem levar tempo e não suprirão os médicos na velocidade e quantidade da retirada dos cubanos do País. / Vera Magalhães


VOLTAR PARA O ESTADÃO